Dica do Especialista

E agora: como planejo o financiamento do meu imóvel?

Escrito por  Redação

18/06/2021 às 11:20

5 minutos

Compartilhe este artigo

 

Acompanhar as instituições financeiras é essencial no processo

Realizar o sonho de morar bem e ter o imóvel próprio é o desejo de muitas pessoas. Existem diversas formas para adquirir o primeiro imóvel: com pagamento à vista, por meio de consórcio e compra na planta. Essa última escolha exige um bom planejamento imobiliário, que se adeque ao orçamento do cliente.

É neste momento que as pessoas têm muitas dúvidas sobre como administrar essa programação, de modo que ajuste de maneira saudável no orçamento da família.

Para entender mais sobre o financiamento imobiliário, o advogado e especialista em negócios imobiliários Miguel Ribeiro ressalta que a linha de crédito para esse tipo de ação pode variar de acordo com o tipo do imóvel, seja ele residencial ou comercial.

“Existem linhas de crédito para imóveis de valores mais baixos, populares e de alto padrão. Além disso, as condições de financiamento variam se o imóvel é novo ou usado”, explica o profissional.

Para a concessão do imóvel, os bancos e demais instituições financiadoras analisam a renda bruta familiar, sendo possível o somatório da renda de mais de uma pessoa para conseguir o parcelamento.

“O valor das parcelas não pode comprometer mais do que 30% da renda bruta familiar, que é conferida por meio da apresentação de holerites, extratos bancários, declaração de imposto de renta e outros comprovantes”, alerta o advogado.

Durante todo o processo, a instituição analisará se o comprador tem outros financiamentos que comprometam grande parte da renda, pois a liberação do crédito pode ser negada caso ele não tenha condições para assumir as parcelas.

“É importante que a pessoa se planeje para solicitar um parcelamento, salde suas dívidas e diminua gastos desnecessários antes, para minimizar os riscos de não obter o crédito desejado. Outro ponto analisado por instituições financeiras é a idade do comprador, pessoas com idade avançada, podem ter um prazo menor de parcelamento por conta da expectativa de vida. Mas, existem diversos meios de se fazer isso de acordo com as condições de cada pessoa”, acrescenta o advogado.

“Para o financiamento imobiliário é importante ter um planejamento antecipado, para compor a renda necessária, diminuir gastos mensais e se livrar das dívidas. Além disso, é importante entender qual é a taxa de juros e a forma de correção monetária de cada alternativa para decidir por um financiamento que se enquadre melhor as condições”, finaliza o Dr. Miguel Ribeiro


Utilizamos cookies para personalizar o conteúdo e analisar o nosso tráfego.
Decida se você deseja aceitar cookies do nosso site.