Comportamento

Lar sempre será o ambiente de reencontro para matar a saudade e ter relações afetivas

Matar a saudade e ter relações afetivas no lar sempre será perfeito.

Escrito por  Redação

29/01/2021 às 17:55

5 minutos

Compartilhe este artigo

 

Saudade é muito mais que uma simples emoção, é ser humano 

Sentimentos são difíceis de se explicar. Sejam eles bons ou ruins, são eles que nos tornam mais humanos. A influência de acontecimentos sociais, como o da pandemia da COVID-19, por exemplo, tem ditado a maneira como as pessoas têm se relacionado umas com as outras. Isso causou um impacto emocional muito forte e ensinou muita gente a lidar com a saudade dentro de casa. Em meio à momentos difíceis, o lar tem se tornado cada vez mais lugar de reencontro e onde nasce a esperança de dias melhores.

A tecnologia tem sido aliada para aproximar parentes e amigos. Mas, o uso da internet e de aplicativos ainda não substitui os beijos, abraços e bons relacionamentos pessoais em grupo.

Para entender um pouco mais sobre os efeitos das emoções e seus impactos na vida humana, a CONSTRUTORA PATRIANI conversou com o professor, supervisor e especialista em neuropsicologia da USP (Universidade de São Paulo), Luan Carvalho. Ele destaca que as nossas necessidades emocionais não são fixas e que em cada momento podemos senti-las de diferentes maneiras.

“Para muitas pessoas o isolamento social trouxe certa conformidade, já que a situação diminui a necessidade de se relacionar com pessoas que não eram de seu interesse. Mas, para uma criança que está em fase de descoberta, por exemplo, ter o contato direto com outras crianças é extremamente importante para seu desenvolvimento,” diz o neuropsicólogo.

Segundo o especialista, o ser humano foi feito para conviver em sociedade, ou seja, uma de suas características é estar envolvido em grupos e construir relacionamentos afetivos, e isso vem de berço.

“Nós, enquanto mamíferos, só sobrevivemos porque nossos pais são suficientemente capazes de nos proteger. Além da perspectiva biológica, do ponto de vista social, somos ensinados e reforçados a valorizar os membros da família e amigos,” acrescenta o profissional.

Não se pode assimilar tristeza com saudade, pois sentir a falta de alguém, também pode ser algo bom. Essa falta mostra que aquela pessoa tem um significado importante em sua vida, como no caso de um relacionamento amoroso, por exemplo.

O afeto é um sentimento muito importante e essencial na vida humana, principalmente para preencher esses espaços. Ele gera respostas emocionais, desde memórias e pensamentos até ler um poema ou ver a foto de uma pessoa querida.

“Podemos ter pequenas ações diárias, que valorizam a presença do outro em nossa vida, sem necessariamente estarmos com saudade. Atitudes como agradecer, elogiar, acompanhar, servir e reconhecer são capazes de gerar sentimentos de conexão mútua,” diz o especialista.

As emoções agradáveis e desagradáveis fazem parte da vida, mas o lar e o aconchego da família sempre serão o ponto de reencontro. Nada é eterno, mas cada momento pode ser bem aproveitado, em casa ou com amigos e parentes especiais, o importante mesmo é saber lidar com as emoções e viver cada dia.

“A saudade, o medo, a tristeza e a raiva nos acompanharão ao longo de toda a nossa jornada. Em 2020, 2021, 2050 e assim por diante. Em cada momento, essas emoções podem assumir tamanhos e medidas diferentes, e é justamente nessa certeza que habita a esperança,” conclui Luan Carvalho


Utilizamos cookies para personalizar o conteúdo e analisar o nosso tráfego.
Decida se você deseja aceitar cookies do nosso site.